Distúrbios Alimentares

Com a crescente valorização do corpo perfeito, transtornos alimentares tornam-se cada vez mais comum.

Artigo publicado por Aline Silveira nas categorias: Estética

O mundo atual pede que as pessoas sejam magras, bonitas e jovens. Por outro lado, ele as provê com alimentos calóricos, gostosos e desejáveis. Por isso, em todo o planeta, existe mais de 1 bilhão e meio de obesos, o que gera grande descontentamento nessas pessoas. Com isso, aumentam os casos de distúrbios alimentares, que são gerados principalmente por motivos psicológicos. Sendo assim, conheça os principais deles:

Tipos de Transtornos Alimentares

Os tipos mais comuns de transtornos alimentares são a bulimia, a anorexia e o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) por alimentos. Nem todos esses transtornos têm como efeito o emagrecimento, mas também, a obesidade, pois fazem com que os doentes nunca se sintam satisfeitos.

Saiba mais sobre distúrbios alimentares neste vídeo:

Sintomas

Cada transtorno alimentar possui seus sintomas característicos. Portanto, vamos enumerá-los de acordo com a ordem em que foram citados acima:

Bulimia

Geralmente ocorre entre adolescentes e mulheres jovens e as suas causas ainda são pouco conhecidas, mas acredita-se que aconteça devido a fatores psicológicos, genéticos, traumáticos, sociais ou culturais.

Bulímica

Bulímica

Os bulímicos sentem uma grande compulsão por alimentos, normalmente pelos calóricos. Então, comem exageradamente. Porém, após toda a comilança, aparece o sentimento de culpa e fazem de tudo para eliminar as calorias ingeridas como a indução ao vômito, o consumo de laxantes, diuréticos ou enemas e a prática excessiva de exercícios físicos.

Consequências

Quem sofre de bulimia mantém o mesmo peso, pois apesar de comerem excessivamente, livram-se das calorias ingeridas rapidamente. Entretanto, com a continuação do problema a longo prazo, podem sofrer de lesões no esôfago e nos dentes, de constipação, de pancreatite, de hemorróidas, de cáries e de desidratação.

Tratamento

O tratamento para a bulimia deve ser multidisciplinar, envolvendo 3 profissionais: psicólogo para verificar procedências traumáticas, nutricionista para ajudar na formulação de cardápios saudáveis e endocrinologista para o tratamento das regiões afetadas pelo distúrbio.

Anorexia

A anorexia é um transtorno alimentar que pode levar à morte com as suas consequências. Tal distúrbio faz com que as pessoas, geralmente adolescentes e jovens mulheres, pensem estar sempre acima do peso, mesmo estando bem abaixo do ideal para a sua idade e altura.

Por isso, param de se alimentar ou comem muito pouco e forçam para que os alimentos sejam excretados pelo corpo, seja através do vômito ou das fezes. Para tanto, colocam o dedo na garganta ou usam laxantes. Alguns doentes se recusam a comer perto de outros indivíduos e praticam muitas atividades físicas a fim de perderem peso.

Anorexígenos

Conseqüências

Em longo prazo, a anorexia pode trazer graves consequências como o enfraquecimento dos ossos, a arritmia cardíaca, a desnutrição grave, os problemas na tiereóide e a desidratação grave. Caso a pessoa persista em não se alimentar, a morte pode ser a última consequência dessa doença.

Tratamento

O tratamento para a anorexia é feito basicamente com o uso de antidepressivos e com a participação em grupos de apoio que envolvem a família. Para tanto, psiquiatras e nutricionistas devem ser consultados.

Transtorno Obsessivo Compulsivo por Alimentos

Pessoas que sofrem dessa doença têm pensamentos incontroláveis, repetitivos e compulsivos pela ingestão de alimentos. Como a ansiedade torna-se crescente, esse grupo precisa se alimentar para se sentir satisfeito, mesmo que já esteja saciado. Assim, comem incontrolavelmente, gerando outra doença, a obesidade.

Transtornos Alimentares

Consequências

A principal consequência do TOC por alimentos é a obesidade que, por sua vez, gera inúmeras doenças como problemas no coração, nos ossos e no fígado, colesterol alto, hipertensão e diabetes.

Tratamento

O tratamento contra a compulsão alimentar se dá através do uso de medicamentos, especialmente os antidepressivos e os ansiolíticos. Além disso, faz-se necessário o acompanhamento psicológico e nutricional.

Aline Silveira

Autora

Aline Silveira dedicou sua vida a pesquisar sobre saúde e bem estar e conquistou seu manequim 36 após lidar com depressão e atingir o manequim 44.



1 comentário

  1. carina lisboa monteiro

    oi gostaria de saber se estou gravida vai fazer mau ao meu bebe a fluoxetina 20mg
    ou que mau pode acontecer

Comente!




*Campos obrigatórios