Dieta Volumétrica

Na dieta volumétrica, é preciso escolher os alimentos que formam volume no sistema digestivo, o que causa a sensação de saciedade e nos faz comer menos.

Artigo publicado por Aline Silveira nas categorias: Dietas

Criada por Barbara Rolls, PHD e pesquisadora da área de nutrição na Penn State University e por Robert Barnett, um escritor da área de nutrição, é uma dieta focada no volume dos alimentos ingeridos, o volume que eles vão fazer no sistema digestivo, sendo alimentos de baixa caloria que proporcionam saciedade eliminando os desconfortos de uma dieta que dão as sensações de fome. Essa dieta não leva em conta a quantidade de calorias ingeridas porque há alimentos que são de pouco volume, mas muito calóricos e fazem engordar muito, que são os casos das pizzas, algumas frituras, lasanha… Veja abaixo como funciona a dieta volumétrica:

dieta-volumetrica

A Obra

Em sua obra, “The Volumetrics Weight – Control Plan” (Plano Volumétrico de Controle de Peso), numa tradução livre, os alimentos são considerados como de “baixa densidade de energia” e de “densidade de energia” que são os que devem ser evitados. Já os alimentos de baixa densidade de energia, onde os de maior volume se encontram, que são os mais indicados por proporcionarem saciedade, enquanto que os de densidade de energia que geralmente são de menor volume, precisam ser ingeridos em maior quantidade para que fiquemos saciados, e é nesse momento que engordamos.

dieta-volumetrica1

As 4 Categorias de Alimentos

O livro ainda classifica 4 tipos de categorias de alimentos. O primeiro tipo de alimentos são aqueles que podem ser consumidos a qualquer tempo ou hora do dia, que são as frutas, brócolis, verduras, cogumelos, caldos de sopa.

A segunda categoria é dos alimentos que devem ser consumidos moderadamente, como as massas e grãos integrais, legumes, proteínas magras, e laticínios de baixa gordura.

A categoria três abarca os alimentos que devem ser ingeridos em pequenas porções como pães, sobremesas, salgados assados, queijos e carnes com maior quantidade de gordura.

E a quarta categoria é formada pelos alimentos que podem ser consumidos muito raramente, como frituras, doces, biscoitos, bolos, bolachas recheadas, refrigerantes, glacês, chantillys, massas folhadas, amanteigados, derivados de nata, e demais alimentos de alta densidade de energia.

E essa dieta requer exercícios de 30 a 60 minutos todos os dias, sem falta. Senão não surtirá efeito algum.

Cálculo

Para calcularmos o volume dos alimentos temos de fazer uma conta rápida, devemos verificar o peso do alimento em gramas de cada porção e dividirmos a quantidade de calorias pelo peso em gramas da porção. Vemos encontrar esses números olhando nas embalagens do alimento. Por exemplo: Se um determinado alimento tem 50 calorias e seu peso é de 100 gramas, devemos dividir 100 por 50 e vamos encontrar o valor decimal de 0,5, e este resultado é a densidade de energia do alimento, se der um valor mais alto que este, deverá consumir menos.

Prós e Contras

Não é uma dieta rápida, ela demanda longo prazo, pois é um plano de emagrecimento, então não se desespere para querer resultados imediatos, e nunca deixe de fazer exercícios diariamente.

Para quem não gosta de preparar seus alimentos, essa dieta não é a mais indicada. Ela exige que os alimentos sejam preparados em casa.

É uma dieta flexível, o preparo dos alimentos pode variar com os gostos pessoais, basta ter paciência e foco. Faz bem à saúde, não exclui alimento algum, apenas reduz o consumo dos calóricos, e abaixa os níveis do mal colesterol, diabetes etc. Vale a pena entrar nos detalhes dessa dieta e aprender tudo que ela diz em sua obra.

Aline Silveira

Autora

Aline Silveira dedicou sua vida a pesquisar sobre saúde e bem estar e conquistou seu manequim 36 após lidar com depressão e atingir o manequim 44.






Comente!




*Campos obrigatórios